segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A Famosa fava de ARIDAN

TETRAPLEURA TETRAPTERA

A Famosa fava de ARIDAN

A tetrapleura Tetráptera (Schumach. E Thonn) Taub, Mimosaceae, vulgarmente conhecida como Aridan (fruta), termo(Yorubá) no sudoeste da Nigéria também conhecida no Congo como, kiaka na língua (Akwa e Mbaamba), eyaka (Lingala), chiacha (Tsangui) sekeseke (Bira, Mbuti) akolongo (Azande) Angulu (África Central, provem de uma árvore robusta e perene de cerca de 30 m.de altura tem na cor um cinza / marrom, liso / casca áspera, A flor é amarela / rosa e branco, a fruta tem cor castanho escura, quatro frutos alados 12-25 x 3,5-6.5cm.It é geralmente encontrada na floresta de várzea da África tropical.

O fruto é constituído por uma polpa carnosa, com pequenas sementes marron/escuro. A fruta possui uma fragrância, caracteristicamente picante e odor aromático, o que é atribuído à sua propriedade repelente de insetos. É usado como especiarias e aroma (exóticos aromas tropicais) e envenenamento de peixes. É uma das plantas medicinais moluscicida, também é útil no tratamento de convulsões, hanseníase, inflamação e / ou dores reumatóide.

O documentados ou biológicas e atividades farmacológicas são encontrados para ser moluscicida, cardio-vascular, neuromuscular, hipotensor, anti-convulsivantes, tripanocida, hirudinicidal, controle de esquistossomose, anti-ulcerosa, ectoxico, antiinflamatório, hipoglicemiante, anti-microbiana , a propriedade emulsificante, controle de natalidade, o valor dos alimentos e controle de parasitas intestinais.

Todos os compostos isolados, a partir das frutas ou de outras partes foram encontrados para exibir fortes propriedades moluscicida contra a esquistossomose transmitidos pelos caramujos Biomphalaria glabrata que servem como hospedeiros intermediários (Coitado dos Ibí/Igbi/Igbiri)

Atividade anti-úlcera

Extratos obtidos a partir de T. tetraptera exibiram significativa atividade anti úlcera ethnomedical confirmando a sua utilização no tratamento de transtornos gastro-intestinais, especialmente das úlceras estomacais.

Atividade anti-microbiana

Alcoólicas e extratos de água de T. tetraptera inibiu o crescimento de Staphylococcus aureus (Salako et al., 1990). A actividade anti-microbiana desta planta tem sido explorada na formulação dos frutos secos em pó da planta. Assim, as ervas secas em pó foram formuladas em bases de sabão utilizando óleo de dendê, manteiga de karité e misturas das duas bases. Os sabonetes formulados foram avaliados para propriedades organolépticas e capacidade de formação de espuma. Sabonetes com a mistura das duas bases eram de melhor qualidade do que aqueles com a base individual. Incorporação de materiais vegetais em pó influenciou tanto a propriedade de formação de espuma e a dureza dos sabões. Com exceção da T. tetraptera pó de frutas que melhorou a capacidade de formação de espuma dos sabões (Adebayo et al. 2000), todas as ervas, incluindo Acalypha Wilkesiana, madagascariensis Harugana e exasperata Ficus deprimido a capacidade de formação de espuma dos sabões.

Atividade anticonvulsivante

Os extratos de T. tetraptera apresentaram atividade anticonvulsivante que pode ser ligado à sua capacidade de deprimir o sistema nervoso central (Akah e Nwambie, 1993).

O controle da natalidade

Os extratos de etanol e saponinas da haste-casca de T. tetraptera exercido um efeito inibitório sobre o hormônio luteinizante liberadas pelas células da hipófise (El Izzi et al., 1990), sugerindo sua utilização como um agente contraceptivo.

Atividade Nutritiva

A qualidade nutricional dos frutos secos de T. tetraptera usado como tempero, foi avaliada. A casca do fruto, polpa e sementes continha quantidades variadas de nutrientes, como proteínas, lipídios e minerais, que são comparáveis e alguns foram até mesmo superiores especiarias populares, tais como pimentão, cebola, curry e gengibre (Essien et al., 1994) . Na parte oriental da Nigéria, as frutas são usadas para preparar sopas para as mães a partir do primeiro dia da entrega para evitar a contração pós-parto (Nwawu e Akah, 1986). Ele é usado na preparação da sopa de pimenta em partes do sul da Nigéria. As frutas também contêm ácidos cinâmico, ácido caféico e carboidratos (Adesina, 1982).

Vale lembrar, ainda, que o fava-de-aridan (Tetrapleura tetraptera) combinado com outras plantas psicoativas, como a noz-moscada, (Myristica fragrans), dandá (Cyperus sp) orogbo (Garcinia kola), obi (Cola acuminata), reduzidas a pó é usado afastar maus fluidos, atrair forças benfazejas e em rituais de cura, no fechamento de corpo e na feitura de santo, por meio de cortes no peito, braço, costas, pés, testa e língua, onde é colocado o pó. Seria a pemba, o atim agindo como cicatrizante, Este pó, de uso tópico, resultante da combinação de plantas psicoativas, pode, por meio da interação dos componentes químicos dos vegetais empregados, fazer desencadear efeitos toxicológicos desconhecidos, de graus variáveis, no sistema nervoso central, ao atingir de imediato, a corrente sanguínea.

Esta planta ocupa espaço nos sistemas de crença afro-brasileiros, desempenhando papéis específicos, tais como nas comidas de santo, nas indicações terapêuticas e em outras situações ritualísticas.

Partindo da premissa de que as plantas exercem duplo papel dentro dos rituais, embora tais papéis sejam complementares, poderemos determiná-los da seguinte maneira:

1. em primeiro lugar, temos o papel sacral de valor simbólico correspondente a cada planta, o qual está preso a um universo mítico, resultante de um ato cosmogônico que, legitimado por meio de ritos próprios, faz detonar o axé, essa força vital com que Ossaim faz impregnar as folhas, caracterizando seu papel dentro dos rituais, cujo significado é compreendido pelos grupos religiosos. O papel sacral tem um conteúdo inexplicável, visto ser impossível, por mais que tentemos, dar expressão verbal a um bem imaterial que, pela própria natureza, está ligado a uma esfera onde a linguagem não tem espaço. Como é possível, com meras palavras, traduzir o mais íntimo de todos os atos que é o contato com o sagrado? Este papel não se explica, se sente.

2. em segundo lugar, temos o papel que a planta desempenha dentro do ritual, tendo em vista o valor intrínseco de cada uma delas, o qual podemos admitir que possa determinar em que situação ritualística ela pode se enquadrar. Exemplo das plantas psicoativas capazes de proporcionar estados alterados de consciência, propiciando condições ideais para o contato com o sagrado, em circunstâncias várias.

Texto traduzido e adaptado por Tata JITU MUNGONGO

Referências:

Jornal africano da tradicional, complementar e medicina alternativa, vol. 4, No. 1, 2007, pp. 4, No. 1, 2007, pp. 23-36 23-36

Adebayo, AS, Gbadamosi, IA and Adewunmi, CO (2000). Formulação de antimicrobianos ervas secas em bases de sabão em pó. Em. Fitomedicamentos em malária e doenças sexualmente transmissíveis: Desafios para o Novo Milênio. CO Adewunmi e SK Adesina eds. Obafemi Awolowo University, Ile-Ife. Obafemi Awolowo

Adewunmi, CO,Furu,P.,Marquis, BB, Fagbola, M. and Olatunji, OA (1990). Journal of Ethnopharmacology.30, 169-183.

Maria Thereza Lemos de Arruda Camargo - As Folhas dos Ritos Afro-Brrasileiros e Seus Agentes Ativos, do ponto de vista Etnofarmacobotânico.

Fiquem em paz

JITU MUNGONGO

Um comentário:

reginaldo(indião) disse...

Oi mestre parabéns pelo blog, o senhor sabe mais ou menos quanto tempo a fava de aridam demora para produzir, é que eu tenho um pé aqui com uns 5 anos e até agora nada....abçs...